terça-feira, 28 de abril de 2009

A Arte de Saber Viver!

Há momentos em nossas vidas que nos deparamos com exemplos de força, fé, determinação e, principalmente, superação. São características capazes de produzir grande estímulo em outras pessoas que, porventura, estejam passando por situações semelhantes à que será relatada nesta matéria.

É o caso de Mari Sabel, 37, que, no auge de seus 18 anos, então uma menina cheia de planos, quase teve interrompidos os seus sonhos por causa de um grave acidente de automóvel, que a deixou tetraplégica. “De repente, me vi num leito de hospital, sem conseguir movimentar sequer a cabeça. Minha primeira sensação foi a de incapacidade total (acho que quase todos se sentem assim), mas logo me veio uma força, incapaz de decifrar em palavras, que me fez acreditar em dias melhores, em recuperação, em vida pós-trauma”,conta.
Mari relata que, na época, foi um choque para toda a família e amigos que, até então, não tinham qualquer conhecimento ou informação sobre o assunto. As circunstâncias exigiram um longo processo de adaptação, cerceado por diversas duvidas e medos. Enquanto a maioria chorava ou tentava engolir o choro para disfarçar, ela fazia com que as pessoas se sentissem bem e mostrava que estava ali, inerte, mas viva! “Vivi todos os momentos de recuperação, toda dor, angustias, decepções, mas consegui valorizar muito mais os momentos de pequenas melhoras, às quais me apeguei com determinação, com muita vontade de viver. A partir daí, foi continuar com meus planos e sonhos, somente adaptando-os àquela nova condição de vida”, acrescenta.
Das várias histórias vividas por Mari Sabel, todas deixaram marcas importantes em sua vida, mas a que considera uma das mais profundas foi ter conhecido um homem desprovido de preconceito, que rendeu-se aos seus encantos e reaprendeu a viver de forma diferente da convencional, ao lado de uma mulher cadeirante. Em pouco tempo veio o casamento e, logo em seguida, a gravidez, para surpresa dos mal informados, que sempre pensam que deficientes físicos não têm vida sexual, ou mesmo que não podem ter filhos. ”Andava de blusas bem curtas ou rendadas, para mostrar ao mundo que estava gerando uma nova vida. Sempre foi meu orgulho! Aliás, meu não, pois como filha mais velha, foi o primeiro neto da casa. Então, imagine só como era tratado pelos avós, tios, primos e, principalmente, pelos pais”, comenta Mari, orgulhosa e em tom de mamãe coruja.


"Minha familia, meu orgulho"
Mas as surpresas (e boas surpresas) não pararam no nascimento de seu filho. Pensando já ter encontrado todas as formas de superação, Mari descobre o talento para as artes plásticas. “Foi paixão à primeira vista”, exclama. De terapia e passatempo, tornou-se profissão e fonte de renda do casal, trabalhando juntos, ela e o marido. Mari tem os movimentos das mãos limitados, pinta com a ajuda de manguitos (adaptações para as mãos), pois só recuperou parte dos movimentos dos braços. Mesmo assim, isso não a impede de pintar quadros de quase dois metros. Além das telas, também desenvolveu uma linha de artesanato capaz de gerar inveja em qualquer ser humano fisicamente apto. Confira abaixo








Telas







Pintando, me sinto ilimitada; podendo percorrer lugares infinitos, intransponíveis a outros olhos. E posso dizer, com todas as letras, que a arte hoje é a expressão viva da vida que há em mim! “

Não bastasse tantos adjetivos e vitórias, com belos olhos azuis, encantou a nossa já conhecida fotógrafa Kica de Castro, que a convidou para fazer parte de seu casting.
Mari poderia ser mais uma na multidão da diversidade, mas preferiu fazer a diferença, mostrando que tudo é possível.
Como mulher e cadeirante, posso afirmar que a vida não se limita ao que vemos, vai muito mais além. Acima de tudo, ou de qualquer problema físico, a beleza está muito mais dentro do que fora de cada um. Isso depende do transparecer a auto-estima e a honestidade consigo mesma. E se tenho de passar por isso, o farei da melhor forma. E concluo dizendo que, por muitas vezes, só através das dores percebemos a magnitude da vida!”, finaliza.


Para conhecer a galeria de Mari acesse:

9 comentários:

  1. A cada novo post, fico encantada com a facilidade que Camila tem em escrever. Não é atoa que escolhi ela para minha assistente.
    Mari, é uma amiga, que ainda não conheço pessoalmente. Sou fã dessa artista, amo os quadros que essa talentosa mulher pinta. Linda por fora e por dentro, faço questão de ter ela no meu casting.
    Beijão para dupla do post,

    Kica

    ResponderExcluir
  2. Que bela historia, belos quadros, realmente emocionante, obrigado por trazer ao nosso conhecimento todas essas coisas (projetos, fatos, historias...) que só nos engrandece como ser humano.
    Que belo texto, voce tem uma maneira toda especial de escrever e nossos somos privilegiados de poder acompanhar. Melhor de tudo é ter a oportunidade de ser seu amigo, muito obrigado, por essa oportunidade! =D
    Estarei sempre por aqui acompanhando voce!
    Beijo Mila! Parabens pelo seu trabalho! E só pra reforçar, vc eh d+, nunca esqueça disso! =*

    ResponderExcluir
  3. Belo trabalho

    Pessoas assim fazem a diferença e mostram pra todo mundo que, a vida pode ser bacana independente se você tá em uma cadeira de roda ou não... basta sair da cama

    beijão camila
    ta cada vez melhor seu blog
    sou seu fã

    o/

    ResponderExcluir
  4. Camila, belíssima história!que beleza de mulher,que artista fantástica... que família abençoada...parabéns Vitaminada pela reportagens sensacional...
    bjocasss

    ResponderExcluir
  5. Camila,

    Parabéns pelo blog e pela idéia de expor aqui matérias que mostra o valor que nós, portadores de algum tipo de deficiência, temos.
    Estarei aguardando ansiosamente por mais um desses belissimos artigos seu.

    Bjo linda!

    ResponderExcluir
  6. Camila Mancini, estava ansioso aguardando seu novo post, vc surpreende com as hist que relata, sabe escolher o que apresentar para seus leitores. Fico pensando qual será a proxima matéria, que exemplo ou novidade ela vai nos apresentar?
    Vc comentou no post anterior que vivenciou uma situação parecida com a que descreveu, então conte-nos, imagino que seja emocionante
    Que trabalho magnifico da Mari Sabel,vou com certeza visitar sua galeria e quem sabe comprar uma de suas telas. Está de parabéns pela arte, pela hist de superação!
    Garota Camila Mancini (não sei porque mas gosto de falar seu nome)parabéns sempre e não demore com as novidades.
    Beijo grande

    ResponderExcluir
  7. Amada, em 1° lugar, desculpa a demora em postar um coment... tô com problemas no pc.
    Simplesmente ameeeeiii a matéria! como mtos já falaram aqui, vc tem uma maneira tda especial de escrever... cheia de carinho, cuidado e sensibilidade nas palavras. Tds sabem que com certeza ainda serás uma grande jornalista!!! :))
    Obrigada flor por se interessar pela história e por fazer parte de minha vida... vc é um anjinho que Deus colocou em meu caminho... sei e sinto isso!
    Com tdo meu carinho e admiração por vc,
    beijocas no coração,
    Mari. :-)

    ResponderExcluir
  8. Henrique Fernandes30 de abril de 2009 20:47

    Viajando pela internet, conhecendo o mundo dos blogs, encontrei um interessante,Mistura Fina!
    Surpresa boa! Com tantos jovens fúteis, irresponsáveis e irreverentes que encontramos mundo afora, ver uma jovem como você Camila, com tamanha sensibilidade, inteligência e categoria nas palavras, me emociona!
    Emociona a sabedoria em abordar um assunto delicado e desconhecido para muitas pessoas, talvez ainda a maioria pense igual, que deficiente é triste, sem beleza e sem cultura. Não vamos tapar o sol com a peneira e dizer que não é isso que acontece.
    Mas essa pequena menina que fala com os olhos e enxerga com o sorriso, sabiamente apresenta o lado real do mundo da deficiência, com responsabilidade e palavras bem colocadas.
    Viagei em seu blog, adorei conhecer o trabalho da fotógrafa, da Mari e o seu Camila, espero saber muito mais através de seu conhecimento e domínio no assunto. Vou fazer como seu leitor Eduardo e aguardar ansioso o próximo post.
    Parabéns futura jornalista e com certeza vou visitar a galeria da Mari!
    Paz e muito sucesso!

    ResponderExcluir
  9. Mariana T. Correa1 de maio de 2009 13:28

    Oi Camila, tenho 17 anos, tbm tenho pc, vim aqui conhecer seu blog por indicação do meu amigo Edu.
    Adorei seu jeito de falar sobre a deficiencia, tem alguns blogs que falam de modo deturpado, ou com jeito de pena e outros mais cabulosos ainda com uma linguagem estranha,não gosto disso :(
    Vou sempre acompanhar vc aqui e add vc no orkut, amei seu jeito de ser e o respeito que tem por nós deficientes.Vlw
    Beijãozão :);*

    ResponderExcluir